Pular para o conteúdo principal

Java


Em 1991, na Sun Microsystems, foi iniciado o Green Project, o berço do Java, uma linguagem de programação orientada a objetos. Os mentores do projeto eram Patrick Naughton, Mike Sheridan, e James Gosling. O objetivo do projeto não era a criação de uma nova linguagem de programação, mas antecipar e planejar a “próxima onda” do mundo digital. Eles acreditavam que, em algum tempo, haveria uma convergência dos computadores com os equipamentos e eletrodomésticos comumente usados pelas pessoas no seu dia-a-dia.
Para provar a viabilidade desta idéia, 13 pessoas trabalharam arduamente durante 18 meses. No verão de 1992 eles emergiram de um escritório de Sand Hill Road no Menlo Park com uma demonstração funcional da idéia inicial. O protótipo se chamava *7 (leia-se “StarSeven”), um controle remoto com uma interface gráfica touchscreen. Para o *7, foi criado um mascote, hoje amplamente conhecido no mundo Java, o Duke. O trabalho do Duke no *7 era ser um guia virtual ajudando e ensinando o usuário a utilizar o equipamento. O *7 tinha a habilidade de controlar diversos dispositivos e aplicações. James Gosling especificou uma nova linguagem de programação para o *7. Gosling decidiu batizá-la de “Oak”, que quer dizer carvalho, uma árvore que ele podia observar quando olhava pela sua janela.
O próximo passo era encontrar um mercado para o *7. A equipe achava que uma boa idéia seria controlar televisões e vídeo por demanda com o equipamento. Eles construíram um demo chamado MovieWood, mas infelizmente era muito cedo para que o vídeo por demanda bem como as empresas de TV a cabo pudessem viabilizar o negócio. A idéia que o *7 tentava vender, hoje já é realidade em programas interativos e também na televisão digital. Permitir ao telespectador interagir com a emissora e com a programação em uma grande rede cabos, era algo muito visionário e estava muito longe do que as empresas de TV a cabo tinham capacidade de entender e comprar. A idéia certa, na época errada.
Entretanto, o estouro da Internet aconteceu e rapidamente uma grande rede interativa estava se estabelecendo. Era este tipo de rede interativa que a equipe do *7 estava tentando vender para as empresas de TV a cabo. E, da noite para o dia, não era mais necessário construir a infra-estrutura para a rede, ela simplesmente estava lá. Gosling foi incumbido de adaptar o Oak para a Internet e em janeiro 1995 foi lançada uma nova versão do Oak que foi rebatizada para Java. A tecnologia Java tinha sido projetada para se mover por meio das redes de dispositivos heterogêneos, redes como a Internet. Agora aplicações poderiam ser executadas dentro dos browsers nos Applets Java e tudo seria disponibilizado pela Internet instantaneamente. Foi o estático HTML dos browsers que promoveu a rápida disseminação da dinâmica tecnologia Java. A velocidade dos acontecimentos seguintes foi assustadora, o número de usuários cresceu rapidamente, grandes fornecedores de tecnologia, como a IBM anunciaram suporte para a tecnologia Java.
Desde seu lançamento, em maio de 1995, a plataforma Java foi adotada mais rapidamente do que qualquer outra linguagem de programação na história da computação. Em 2003 Java atingiu a marca de 4 milhões de desenvolvedores em todo mundo. Java continuou crescendo e hoje é uma referência no mercado de desenvolvimento de software. Java tornou-se popular pelo seu uso na Internet e hoje possui seu ambiente de execução presente em web browsers, mainframes, SOs, celulares, palmtops e cartões inteligentes, entre outros.

Matérias e dicas relacionadas ao Java

  1. Aplicação MDI no Java
  2. Interação Cliente/Servidor sem Conexão com Datagramas (Java)
  3. Introdução ao Eclipse (Java)
  4. Desenvolvimento de aplicações para dispositivos móveis I (Java)
  5. Desenvolvimento de aplicações para dispositivos móveis II (Java)
  6. O ótimo LWUIT (Java ME)
  7. Data e Hora no j2me
  8. Manipulando Arquivos no Java
  9. Acesso a banco de dados com Java
  10. Servidores de aplicação e Servlets
  11. Modelo, visão, controlador (MVC)
  12. Android e eu
  13. Antes do hello world um pouco de teoria (Android) 
  14. Hello Android!
  15. RelativeLayout (Android)  
  16. LinearLayout (Android) 
  17. TableLayout (Android)
  18. Compactando arquivos (Android)

Comentários

  1. Cara, parabens pelo blog! Sou do oldgameszine.wordpress que você visitou recentemente no post do Contra do nes, aliás, valeu pela dica. Estou cursando técnico em programação (com enfase em java) e curti bastante os códigos que você postou e até aprendi alguma coisa de linguagens que não tinha visto ainda como delphi e oracle.

    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Olá maxcarnage obrigado pela visita e pelos elogios, espero vê-lo mais vezes por aqui. Fico feliz em contribuir, apesar dos posts técnicos (a maioria aqui) não renderem muitas visitas são os que eu mais gosto de escrever.
    Ficarei feliz em ajuda-lo se puder, abraços...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por Participar do programero, fique a vontade para agradecer, retificar, perguntar ou sugerir.

Postagens mais visitadas deste blog

Iniciar e Parar Serviços do Windows (Delphi)

Em certas ocasiões nos deparamos com a necessidade de manipular determinadas atividades do SO, como iniciar ou parar um banco de dados, ou qualquer outro serviço que esteja funcionando no momento. Segue abaixo um código que encontrei na Internet para tal finalidade (não me recordo à fonte, assim que eu a encontrar colocarei).
Iniciar Serviço:

uses WinSvc;
//
// start service
//
// return TRUE if successful
//
// sMachine:
//   machine name, ie: \SERVER
//   empty = local machine
//
// sService
//   service name, ie: Alerter
//
function ServiceStart(
  sMachine,
  sService : string ) : boolean;
var
//
  // service control
  // manager handle
  schm,
//
  // service handle
  schs   : SC_Handle;
//
  // service status
  ss     : TServiceStatus;
//
  // temp char pointer
  psTemp : PChar;
//
  // check point
  dwChkP : DWord;
begin
  ss.dwCurrentState := -1;
// connect to the service
  // contr…

Alterar cores do PageControl (Delphi)

O padrão Windows todo cinza não é muito atraente, por isso quando nos utilizarmos do PageControl podemos alterar suas cores e fontes da seguinte maneira:
Em primeiro lugar devemos alterar a propriedade OwnerDraw para TRUE;
Depois implementar seu método DrawTab da seguinte maneira: //pinta a fonte
Control.Canvas.Font.Color:=clBlack;
//
// pinta a paleta / aba
Control.Canvas.brush.Color:=clSkyBlue;

PageControl1.Canvas.Rectangle(Rect);
Control.Canvas.TextOut(Rect.left+5,Rect.top+3,PageControl1.Pages[tabindex].Caption);
// pinta a parte interna (tabsheet)
PageControl1.Pages[TabIndex].brush.Color := Control.Canvas.brush.Color;
PageControl1.Pages[TabIndex].Repaint;

Caso a intenção seja manter cada aba com seu próprio estilo basta adicionar um CASE filtrando o índice das abas: case TabIndex of
  0: Control.Canvas.Font.Color:=clBlack;
  1: Control.Canvas.Font.Color:=clWindow;
  2: Control.Canvas.Font.Color:=clRed;
en…

Listar arquivos existentes em diretório (Delphi)

Mostraremos uma maneira simples e prática para listar o conteúdo de um diretório com a opção de incluir nessa listagem os arquivos de seus subdiretórios. No exemplo abaixo temos um Edit para receber o diretório a ser pesquisado um CheckBox para indicar se os subdiretórios entrarão na pesquisa um botão para efetuar a pesquisa e um Memo para listar os arquivos encontrados, no final um Edit que receberá o cálculo final (em bytes) da soma do tamanho dos arquivos. procedure TForm1.Button1Click(Sender: TObject);
begin
  tamanhoTotal := 0;
  memLista.Lines.Clear;
  ListarArquivos(edtDiretorio.Text, chkSub.Checked);
  Edit1.Text := IntToStr( tamanhoTotal );
end;
procedure TForm1.ListarArquivos(Diretorio: string; Sub:Boolean);
var
  F: TSearchRec;
  Ret: Integer;
  TempNome: string;
begin
  Ret := FindFirst(Diretorio+'\*.*', faAnyFile, F);
try
while Ret = 0 do
begin
if TemAtributo(F.Attr, faDirectory) then
begin
if (F.Name <> '.') And (F.Name &l…